terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Análise: Não vai sobrar um....

A punição imposta ao árbitro Gleydson Leite após o erro cometido na partida entre Santa Cruz e Ypiranga, quando o mesmo deixou de marcar uma penalidade em favor do time da casa parece um tanto quanto injusta, além de preocupante. É preciso ter um pouco mais de calma e até mesmo maturidade para não dar um tiro no próprio pé, desgastando a imagem da competição, como também desvalorizando os próprios árbitros formados na Federação, uma vez que o efeito se torna maléfico em si. É o segundo árbitro "punido" na competição, exatamente depois de erros cometidos em partidas do Santa Cruz. A equipe do Arruda, apesar da grandeza histórica sofre muito mais por deficiência técnica e estrutural do seu clube do que pelos efeitos causados pelos árbitros. A transferência pela responsabilidade dos resultados aos mediadores das partidas nada mais é do que uma desculpa mal feita ao seu apaixonado e presente torcedor. Ora, no programa "Lance Final", da TV Globo, os apresentadores mostraram o lance da partida e precisaram de pelo menos 3 reprises e closes para chegar a conclusão que de fato o jogador tinha sido calçado pelo adversário na área e a reclamação "Tricolor" procedia. Quantos closes e reprises foram dados ao árbitro no lance? Pode ter certeza que se marcasse a penalidade, era o outro lado da moeda que se colocaria a reclamar, dizendo que só os grandes clubes são beneficiados, que se toma os resultados dos times do interior quando jogam em Recife, etc, etc. Imaturidade de sobra. Cobrança também. Engraçado é quando as soluções mirabolantes são tomadas e se traz alguém de fora. Muitas vezes o presente de grego é bem maior. Ninguém comenta porque vai ter de dar o braço a torcer. A novela é sempre a mesma, os culpados são sempre os mesmos, mas os motivos das revoltas permanecem debaixo do tapete, bem guardados. A qualidade técnica dos jogadores é que está bem abaixo da crítica. Os árbitros erram e continuarão errando bem mais pelas limitações humanaas em lances duvidosos, do que pelo preparo. A situação se torna mais complicada em se percebendo a demanda da CBF para as disputas da Copa do Brasil, em que Nielson, Cláudio Mercante e Emerson Sobral foram designados para atuar. Lamentamos pelo Gleydon. Vítima da bola. Da falta dos replays, da falta de resultado dos times. Da falta de paciência, da falta de apoio dos mesmos senhores que lhe imputam a misssão de conduzir uma partida. A eles, falta a serenidade necessária para valorizar os seus próprios "filhos". Existem erros e erros. Existem a falha e a má fé. Existe o método educativo, existe a repressão. Coisas do futebol.

Um comentário:

adelson disse...

A vergonha continua, inclusive com a conivência da impressa ou de quase toda ela(para ser mais justo).
O bode e Cia Ltda. armarão o campeonato pra o Santa, mas como o time é muito ruim... Saiu tudo errado. Então, tome punição em quem não ajudar.
Ninguém lembra do lance da teórica agressão a ROSE(vixe, Xavier quase degola o hôme).
Time pequeno é pequeno até na hora das punições kkkk.