segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

PE2009: Sport com o turno na mão

O Sport a cada rodada que passa, consolida sua liderança. A conquista do primeiro turno só deixa de acontecer se a equipe tiver uma sequência desastrosa nos últimos 4 jogos a disputar nessa etapa da competição. Com 21 pontos conquistados e 100% de aproveitamento, o único time que aparece com condições reais de disputar o turno é o Santa Cruz, que tropeçou ontem diante do Náutico, ao empatar por 2x2. O Tricolor do Arruda somou até agora 16 pontos, 5 a menos que o líder. Porto e Náutico com apenas 13 pontos conquistados e afastados em 8 do Leão, só conseguiriam algo mais se acontecer um verdadeiro milagre e devem mesmo apenas cumprir tabela. Cabense e Salgueiro ainda apresentam chances matemáticas, porém a possibilidade de conquista por uma dessas equipes é bastante improvável. A PRIMIERA VITÓRIA A grande surpresa da rodada foi o resultado no Lacerdão, onde o Porto perdeu para o até então lanterna Acadêmica Vitória, registrando o primeiro triunfo da equipe visitante na história da competição. O placar foi 1x0. Apesar dos 3 pontos conquistados, o resultado não tirou o representante de Vitória de Santo Antão da zona de rebiaxamento. Com 5 pontos, a Acadêmica Vitória aparece atrás de Ypiranga e Sete de Setembro por 1 ponto. RESULTADOS DA RODADA 31.01 - 3x1, Sport x Petrolina 01.02 - 2x2, Náutico x Santa Cruz 01.02 - 1x2, Cabense x Central 01.02 - 0x1, Porto x Acadêmica Vitória 01.02 - 3x1, Salgueiro x Ypiranga 01.02 - 1x1, Serrano x Sete de Setembro

clique na imagem para ampliar

4 comentários:

Roberto Corrêa disse...

Adethson: Os resultados do jogos do 1° turno, tem demonstrado que a fórmula adotada para o pernambucano foi um equívoco, pois o Sport com muito mais recursos financeiros que os demais, está disparado na liderança, e dificilmente será alcançado por outro concorrente. Se os clubes tivessem aprovado a fórmula proposta pelo Santa Cruz, o campeonato ainda teria muita motivação, pois praticamente todos os clubes continuariam na briga para conquistar uma das 4 vagas para o quadrangular decisivo. É assim que se disputa no campeonato paulista, com 20 clubes em turno único, e também no baiano, onde são 12 clubes e eles jogam em turno e returno (22 jogos) para então classificar os 4 melhores para o quadrangular decisivo. Por que somente nós aqui em Pernambuco, continuamos com essa forma arcaica dos anos 50 e 60 ? É uma pena, mas agora Inês é morta !

Fernanda disse...

Forma arcaica é criar regulamento de campeonato visando beneficiar determinados clubes, como foi feito ano passado e vale ressaltar que o 'tiro saiu pela culatra'. A fórmula de pontos corridos dá chance a todos igualmente; o mais competente em todo o campeonato vence. Simples, justo e eficiente, como deve ser.

Roberto Corrêa disse...

Discordo de você Fernanda ! Se essa fórmula de disputa sugerida pelo Santa Cruz fôsse arcaica, não teria sido adotada no Campeonato paulista, e no baiano (Em tempo: não sou tricolor, e sim centralino). Concordo com você em relação à fórmula do ano passado, que foi péssima, e foi mesmo direcionada para beneficiar o Santa Cruz, como inclusive reconheceu a própria Federação. Mas, não resta dúvida que se tivéssemos todos os clubes brigando por 4 vagas, para aí sim decidirem o campeonato, o Campeonato seria muito mais emocianamte, pois teríamos muito mais clássicos.

Adethson Leite disse...

São dois modelos que tem suas vantagens.

No sistema atual, a divisão em dois turnos distintos, permite que equipes que começaram mal a primeira etapa, tenham uma nova chance e conquiste o turno seguinte.

Se tivéssemos pontos corridos ida e volta, com 22 pontos e título para o melhor, seria a mais justa, porém, não seria atraente para o público, caso um dos participantes disparasse.

O esquema do Paulista é interessante, mas também tem suas falhas, pois com jogos só de ida, poderíamos ter alguns beneficiamentos inidretos de mando de campo.

De toda forma, o campeonato tem uma fórmula equilibrada, diferente do que ocorreu em 2008.

Amigos, obrigado pelas contribuições!

sds,

Adethson Leite