quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Curtas em Destaque: 18/12/2008

Destaques para os números levantados por Claudemir Gomes em sua coluna "Folha Esportiva", na Folha de Pernambuco. Segundo as informações, os contratos entre os parceiros da FPF e clubes para o estadual devem gerar quase R$ 1,8 milhão. Um sinal de que o nosso futebol, aos poucos, vai ganhando poder de fogo... Confiram alguns números interessantes do futebol, que circularam nos principais jornais de Pernambuco hoje: R$ 1,5 milhão - É o que deve ser rateado entre Sport, Náutico e Santa Cruz, no estadual 2009. Estão incluídas as cotas de televisionamento e o novo contrato fechado entre FPF e Ambev. (FP) R$ 250 mil - A quantia a ser rateada pelos clubes do interior. O valor chega a ser bem atrativo e deve continuar fornecendo condições para que nossos representantes consigam dar passos mais ousados no cenário nacional. Um exemplo foi o Salgueiro, na Série C (FP) R$ 4,5 milhões - Além dos valores de patrocínios e cotas de Tv, os clubes ainda contarão com a receita das bilheterias. Segundo os levantamentos do Blog dos Números, R$ 4.5 milhões foram arrecadados na edição 2008 (contando com o TCN), com média de R$ 34,3 mil por partida R$ 2,6 milhões - Foi o valor pago pela campanha Todos Com a Nota em 2008, durante o estadual. Essa receita corresponde a 57,31% do total. R$ 1,9 milhão - A receita exclusiva das bilheterias, ao longo dos 132 jogos do último estadual. R$ 1 milhão - É o valor estimado pelo Sport com a folha mensal em 2009. O Clube busca um novo nível de competitividade e sabe que precisa investir na formação de um bom elenco (JC).

Um comentário:

Roberto Corrêa disse...

Mais uma vez está consumada a injustiça. No nacuional os clubes daqui passam o tempo todo reclamando porqu recebem muito menos que os clubes do Sul. Mas no estadual fazem a mesma coisa com os clubes do Interior. Por que o Central, que tem um grande estádio (maior que os Aflitos, pois ja recebeu um público de 26.000 pessoas no jogo Central 2 X 1 Flamengo no brasileiro de 86), e tem umja grande torcida, até mesmo aqui no Recife, não recebe o mesmo que os clubes da capital? Ou então que se faça uma distribuição baseada no critério da eficiência: 30% em partes iguais, e 70% diretamente proporcionais à pontuação de cada um.Seria muito mais justo, e tornaria o campeonato muito mais equilibrado.