domingo, 30 de novembro de 2008

Pré-Jogo: Náutico x Atlético-PR, Série A 2008

Náutico e Atlético-PR jogam pela permanência na elite do futebol brasileiro, em confronto dramático nos Aflitos, 16 horas. A partida é válida pela 37ª rodada da Série A 2008. Restando dois jogos para cada equipe, na rodada poderemos ter os primeiros clubes matematicamente rebaixados para a Série B e tantos outros encaminhados, dependendo das combinações de resultados. Como aperitivo, todos as partidas no mesmo horário. O Náutico (40pg, 10v, 42-53, 16º colocado) deixou escapar uma "chance de ouro" na rodada passada, quando em jogo aberto acabou perdendo por 4x3 para o Figueirense. O resultado além de adiar uma provável permanência na Série A, acabou reascendendo as esperanças do próprio time catarinense. Passado o tropeço, o Timbu espera contar com sua torcida para reencontrar o caminho das vitórias e afastar definitivamente o fantasma do rebaixamento. Caso derrote o Atlético-PR e não ocorram vitórias de Figueirense, Vasco e Portuguesa, pode comemorar a conquista do objetivo. As esperanças estão no ataque que marcou 8 gols nas 2 últimas partidas. Sem perder há 6 partidas, o Atlético-PR (42pg, 11v, 39-49, 15º colocado) também chega com o objetivo de conquistar no mínimo um empate. O Furacão sabe que na última rodada enfrentará o Flamengo (que briga por uma vaga na Libertadores) e a derrota nos Aflitos pode complicar suas chances de classificação. Um ponto forte dos paranaenses nos últimos jogos é a regularidade de seu ataque. Alan Bahia&Cia vêm cumprindo seu papel há 8 jogos consecutivos, atualmente só superado pelo São Paulo (10). Nas 3 últimas partidas marcou 6 gols, 2 em cada (Figueirense, Vitória e Botafogo). EVOLUÇÃO DOS TIMES O Náutico no primeiro turno conquistou 21 pontos, com aproveitamento de 36,84% (15º colocado). A equipe pernambucana marcou 20 gols e sofreu 29. No returno, a equipe alvirrubra já obteve 19 pontos, restando 6 a disputar. O aproveitamento é de 37,25% (também 15º) e seu ataque marcou 22 gols, tendo sua defesa sofrido 24. Uma discreta melhora. O Atlético-PR terminou atrás do Náutico no primeiro turno. Marcou 20 pontos (35,09% de aproveitamento, 16º colocado), marcando 17 gols e sofrendo 21. No returno, o Furacão já conquistou 22 pontos (aproveitamento de 43,14%, 11º colocado), mas sua defesa preocupa: marcou 22 gols e sofreu 28. O MANDANTE... A campanha do Náutico como mandante está longe de encher os olhos da torcida. A equipe já sofreu 5 derrotas nos Aflitos e empatou ontras 5, em 18 jogos. Por outro lado, marcou 6 pontos nos seus encontros mais recentes, diante de Vitória (1x0) e Cruzeiro (5x2). A torcida espera que o time volte a fazer o "dever de casa" da mesma forma que os comandandos de Roberto Fernandes aguardam o incentivo das arquibancadas, como aconteceu diante do Cruzeiro. O aproveitamento de 53,70% é apenas o 17º entre os mandantes. O Timbu também luta para desemcabular diante dos times do Sul no Brasileirão. Mesmo nos Aflitos, apenas empatou com Grêmio e Internacional e perdeu para Coritiba e Figueirense. Confiram os resultados: Venceu 01ª rodada - 2x1 Goiás 04ª rodada - 3x0 Botafogo 07ª rodada - 2x1 Atlético-MG (Arruda) 10ª rodada - 2x1 São Paulo 19ª rodada - 1x0 Santos 24ª rodada - 2x0 Ipatinga 33ª rodada - 1x0 Vitória 35ª rodada - 5x2 Cruzeiro Empatou 06ª rodada - 1x1 Vasco (Arruda) 13ª rodada - 1x1 Internacional 22ª rodada - 1x1 Grêmio 27ª rodada - 0x0 Palmeiras 31ª rodada - 1x1 Portuguesa Perdeu 11ª rodada - 0x2 Sport 15ª rodada - 1x2 Coritiba 17ª rodada - 1x2 Figueirense 21ª rodada - 1x3 Fluminense 28ª rodada - 0x2 Flamengo O VISITANTE... O Atlético-PR tem sido um time caseiro na competição. prova disso é o aproveitamento de apenas 16,67% como visitante, 18º da competição. Sua defesa sofreu 35 gols e 3 goleadas por 4x0 (Atlético-MGH, Goiás e Santos), além de outros dois resultados adversos em 3x0 (Grêmio e Fluminense) O curioso é que justamente contra dois times que lutam contra o rebaixamento é que surgiram as duas únicas vitórias fora de Curitiba: Ipatinga (1x0) e Figueirense (2x0). Além disso, somou pontos (5) nos 3 últimos compromissos "fora de casa". Isso aponta para certa precaução por parte dos pernambucanos. Confiram os resultados: Venceu 01ª rodada - 1x0 Ipatinga 34ª rodada - 2x0 Figueirense Empatou 27ª rodada - 1x1 Coritiba 32ª rodada - 2x2 Vasco 36ª rodada - 2x2 Botafogo Perdeu 04ª rodada - 0x1 Palmeiras 06ª rodada - 0x1 Portuguesa 07ª rodada - 0x3 Grêmio 10ª rodada - 0x3 Fluminense 12ª rodada - 0x1 Cruzeiro 14ª rodada - 0x1 Sport 16ª rodada - 1x2 Vitória 19ª rodada - 0x1 Flamengo 21ª rodada - 1x3 São Paulo 22ª rodada - 0x4 Atlético-MG 24ª rodada - 0x4 Goiás 28ª rodada - 0x4 Santos 30ª rodada - 1x2 Internacional CONFRONTOS DIRETOS (BRASILEIRO E COPA DO BRASIL) Já foram registrados 12 encontros entre Náutico e Atlético-PR em Brasileiros ou Copa do Brasil. Vantagem dos paranaenses, com 1 vitória a mais (ver quadro acima). Na Série A, são 10 jogos. O primeiro aconteceu em 30.08.1973 com vitória do Náutico no Arruda, 1x0. No dia 06.08.2008 se enfrentaram pela última vez, com triunfo do Furacão, 2x0, na Arena. Jogando em Recife, 3 encontros pela Série A, todos terminaram com vitórias alvirrubras. Em toda história, as equipes já se enfrentaram na capital pernambucana 5 vezes. Nas outras duas oportunidades, vitória do Náutico (1x0, 1989, Copa do Brasil) e a única vitória do Atlético (2x1, na Ilha do Retiro, em 14/11/1968 - válido pela Torneio Roberto Gomes Pedrosa) O ÁRBITRO Leonardo Gaciba é o segundo árbitro que mais apitou nesse Brasileirão (Série A), com 20 atuações. É a 3ª vez que vem a Recife na competição (2008). Atuou nas partidas entre Sport x Vitória e Sport x Santos. Nenhum dos 36 jogos do Náutico contaram com o apito do representante da federação gaúcha, que lidera o ranking absoluto de penalidades marcadas, 10. Sua média de cartões é baixa (4,3 por jogo), mas todo cuidado é pouco, uma vez que já mandou 6 pro chuveiro nessa temporada. Já validou 56 gols na competição, com média de 2,8 por partida.

4 comentários:

Roberto Corrêa disse...

Olá pessoal do Blog dos Números. Estou de volta, e ja fiz as projeções após a rodada de hoje. (São 19:45 hs- horário do Recife).Vejam bem, levando-se em conta que Fluminense e Santos (ambos com 44) tem remotíssimas chances de serem rebaixados (no caso do Fluminense, por exemplo teria que levar goleada histórica do já rebaixado Ipatinga,o mesmo acontecendo com o Santos no jogo contra o Náutico, consideramos apenas os jogos: Figueirense X Internacional, Atlético PR X Flamengo, Santos X Náutico e Vasco X Vitória. Isso dá um total de 81 combinações possíveis. Já fizemos todas elas, sempre levando em conta o princípio da equiprobabilidade dos eventos, pois trata-se de decisão, e nela tudo é possível, portanto entendemos que a probabilidade de vitória do time A é a mesma do empate, e é a mesma da vitória do clube B, não importando onde o jogo seja realizado, e nem muito menos o retrospecto dos clubes. Poderia até ser: Ibis X Real Madrid, porque acima de tudo decisão é decisão, e nela todo mundo se agiganta. Preferimos esse critério, porque fica fácil a qualquer um entender, ao contrário de outras situações, que não são bem explicadas por seus autores. Bem, voltando ao que falei, nas 81 combinações possíveis, o Vasco está presente em 66 delas, o que lhe dá 81,5% de chances de rebaixamento, o Figueirense está presente em 60 delas, o que lhe dá 74,0% de chances de rebaixamento, o Atlético PR está presente em 27,5% delas, o que lhe dá 34,0% de chances de rebaixamento, enquanto que o Náutico está presente em 8,5% delas, o que lhe dá apenas 10,5% de chances de rebaixamento. (Obs. Em algumas combinações, p.exemplo: o Náutico perdendo, e o Atlético empatando, e se o Vasco vencer ou se o Figueirense vencer, (ou um ou outro:um vence e o outro não), aí a decisão será no saldo de gols, o que torna tudo imprevisível, daí algumas combinações serem divididas entre Náutico e Atlético.

Roberto Corrêa disse...

Continuando o meu comentário anterior: sei que ele será muito questionado, pelo princípio por mim utilizado: o da equiprobabilidade dos eventos: é muito fácil se lançar nos meios de comunicação prognósticos que levam em conta os locais dos jogos e o retrospecto dos clubes. O problema é que ninguém demonstra por "A + B" como chegou aos seus cálculos. Assim é muito bom! É a tal coisa, eu não posso provar que os eventos futebolísticos são equiprováveis, mas também ninguém pode provar que eles não são, e se não são em que proporção deixam de ser. Alegar que um clube A tem p.ex. 70% de chances de ganhar, 15% de chances de empatar, e 15% de chances de perder para o time B, porque o jogo é na casa do time A, e este tem um melhor retrospecto que o time B, é muito fácil!Lanço aqui um desafio a qualquer um para provar os seus cálculos no Blog dos Números. (OBs. Meu celular é: (81) 9149-8422. Estou á disposição para qualquer esclarecimento, inclusive com todas as 81 combinações.

Roberto Corrêa disse...

Vejam pessoal. Não estamos aqui afirmando que os outros usam o popular "chutômetro". Não é assim, embora alguém possa assim entender por meus comentários anteriores. Mas vejam bem; no Capítulo do Cálculo das probabilidades (qualquer livro de Matemática Vol.2 - do Ensino Médio)está escrito: probabilidade é o quociente entre: casos favoráveis dividido por casos possíveis, e o resultado multiplicado por 100. O problema é identicar quias são os casos favoráveis. Há muita discussão sobre isso quando o assunto é futebol, até porque é um esporte em que nem sempre o time mais técnico vence. Agora uma coisa é certa: ninguém pode afirmar com absoluta certeza que a probabilidade do clube "A" vencer o clube "B" é X% baseado no retrospecto, ou mesmo no local da partida. Isso tudo é muito relativo, isto é depende dos critérios usados por quem calcula. Exatamente por isso é que os principais sites sobre projeções esportivas divergem, e as vezes por diferenças acentuadas . Pela lei das probabilidades, não deveria ser assim. Por outro lado, o cálculo baseado exclusivamente na equiprobabilidade dos eventos, também tem suas limitações. Como o número de combinações tem um crecimento EXPONENCIAL (desculpem a referência), ele só pode ser aplicado a um número pequeno de jogos; se forem 5, o número cresce para 243, com 6 passa para 729, e por aí vai. Isso torna trabalhoso o cálculo quando o número de jogos é muito grande. Mas por outro lado esse é um cálculo preciso, que independe de quem o executa, ao contrário dos outros que varia de acôrdo com os critérios usados por cada um. Daí haver divergências.

Adethson Leite disse...

Roberto,

Nossas projeções também são feitas com 33,3% de possibilidade de cada resultado e simulamos até 10 combinações, com 59.049 possibilidades, através de planilhas eletrônicas).

Projeções maiores, não aplicamos resultados práticos, apenas a fórmula de cálculo restringindo possibilidades.