segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Série A: Felipe tira Timbu da Zona

O atacante Felipe foi o nome da partida diante do Ipatinga, válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A. Náutico 2x0. Com o resultado, a equipe pernambucana sai da "Zona de Rebaixamento", pulando para a 15ª posição com 26 pontos e aproveitamento de 36,11%. O Timbu que entrou pela primeira vez na faixa da degola na 18ª rodada, estava há 4 partidas posicionado entre os 4 últimos times da competição. A vitória sobre o Ipatinga representou o 6º triunfo alvirrubro como mandante, após 13 jogos disputados, onde o Náutico apresenta aproveitamento de 53,85%, conquistando 21 pontos em 39 disputados (16º entre os mandantes). O resultado também serviu como reabilitação do time perante a torcida, uma vez que nos dois últimos jogos foram registrados tropeços diante do Fluminense (1x3) e Grêmio (1x1). Decorridos 5 jogos do "returno", esse também foi o primeiro triunfo dos comandados de Roberto Fernandes nesse período, passando a somar 5 pontos, com a 16ª melhor campanha e aproveitamento de 33,3%. O clube também conquistou 2 empates, marcou 5 gols e sofreu 8. Entre os seus concorrentes diretos, Ipatinga (também conquistou 5 pontos, mas perde no saldo de gols), Atlético-PR (3), Figueirense (3) e Portuguesa (1) apresentam os piores desempenhos nos últimos 5 jogos disputados. NÚMEROS DO JOGO Como era de se esperar, o Ipatinga foi um adversário "encardido", criando dificuldades para o ataque alvirrubro, que não conseguiu sair do 0x0 no placar, apesar de desperdiçar boas chances. Os gols foram marcados por Felipe aos 33 e 43 minutos de jogo. O atacante entrou aos 15 minutos de jogo, no segundo tempo, sendo decisivo no resultado da partida. Carimbou com sucesso o gol 2 vezes, em 3 tentativas realizadas. No tempo em que esteve em campo, além das 3 finalizações, Felipe realizou 14 passes (10 certos), 1 desarme, 1 drible e perdeu a bola 4 vezes. Em todo o jogo, o Náutico não foi bem no toque de bola, onde seu aproveitamento de passes foi de apenas 79%, contra 86% do adversário. Foram 245 passes, onde 195 tiveram o caminho certo. O "Timbu" finalizou 20 vezes, tendo 9 delas direcionadas corretamente ao gol. A equipe também acertou 25 das 47 tentativas de lançamento, 5 das 34 de cruzamento e efetuou 20 desarmes. Foram 10 escanteios a seu favor. Os alvirrubros perderam a posse de bola 32 vezes ( O Ipatinga perdeu 44), deu 18 rebatidas e cometeu 18 faltas, recebendo 2 cartões amarelos (Gilmar e Kuki). O ataque do Náutico esteve em posição de impedimento por 2 vezes (Ruy)

4 comentários:

roberto corrêa disse...

Muito bom o Scout da partida.

roberto corêa disse...

Olá pessoal do blog dos números. Como vocês gostam muito de números, (e eu também), pois sou professor de Matemática, resolvi "bolar" uma fórmula para medir o grau de equilíbrio de um campeonato. Submeto-a a apreciação de vocês, para que possam fazer algumas críticas e ou sugestões, podendo a mesma ser usada por vocês, caso achem válida. A fórmula é a seguinte: divide-se a pontuação máxima (o n° da rodada X 3) pela amplitude do Campeonato. Amplitude é a diferença de pontos entre o líder e o lanterna.Propuz inicialmente 5 índices, que vocês poderão alterar ou não, menos o primeiro e o último. Os índices são os seguintes: 1 - totalmente desequilibrado; isso ocore quando o líder vence todas as partidas e o lanterna perde todas; maior que 1 e até 2 - desequilibrado; maior que 2 e até 3 - equilibrado; maior que 3 - muito equilibrado; infinito - totalmente equilibrado; infinito é um conceito matemático proveniente da divisão de um número qualquer por zero. Ocorre quando todos os clubes tiverem a mesma pontuação. Vejam alguns exemplos: Série A 24 X 3 /(49 - 21) = 2,57 - equilibrado; Série B 23 X 3/ (51 - 15) = 1,92 - desequilibrado. É isso aí.

roberto corêa disse...

Olá pessoal do blog dos números. Como vocês gostam muito de números, (e eu também), pois sou professor de Matemática, resolvi "bolar" uma fórmula para medir o grau de equilíbrio de um campeonato. Submeto-a a apreciação de vocês, para que possam fazer algumas críticas e ou sugestões, podendo a mesma ser usada por vocês, caso achem válida. A fórmula é a seguinte: divide-se a pontuação máxima (o n° da rodada X 3) pela amplitude do Campeonato. Amplitude é a diferença de pontos entre o líder e o lanterna.Propuz inicialmente 5 índices, que vocês poderão alterar ou não, menos o primeiro e o último. Os índices são os seguintes: 1 - totalmente desequilibrado; isso ocore quando o líder vence todas as partidas e o lanterna perde todas; maior que 1 e até 2 - desequilibrado; maior que 2 e até 3 - equilibrado; maior que 3 - muito equilibrado; infinito - totalmente equilibrado; infinito é um conceito matemático proveniente da divisão de um número qualquer por zero. Ocorre quando todos os clubes tiverem a mesma pontuação. Vejam alguns exemplos: Série A 24 X 3 /(49 - 21) = 2,57 - equilibrado; Série B 23 X 3/ (51 - 15) = 1,92 - desequilibrado. É isso aí.

Blog dos Números disse...

Olá Roberto,

Envie um e-mail para pdnpe@uol.com.br para que possamos manter contato e trocar boas idéias.

Gostamos do modelo e gostaríamos de dfesenvolver uma matéria com a sua assinatura sobre o assunto.

Quanto ao modelo especificamente, acreditamos que poderia ter aspectos mais abrangentes, como a diferença entre os times que disputam posições.

Reforçando a idéia, um time muito fraco poderia causar a falsa impressão de desequilíbrio, onde 3 ou 4 times estariam disputando um título.